Esteatose hepática não alcoólica, como tratar?

Jul 27, 2018

A esteatose hepática não alcoólica é o acúmulo de gordura nas células do fígado prejudicando o funcionamento do mesmo e é uma das formas mais comuns de doença hepática que está relacionada principalmente com o aumento da obesidade em todo o mundo. Aproximadamente metade dos casos podem evoluir para formas mais graves da doença como cirrose hepática e câncer.

Os fatores de risco mais comuns de esteatose não alcoólica são: obesidade, diabetes, alimentação rica em carboidratos de rápida absorção e gorduras saturadas, perda rápida de peso, hepatites virais, resistência à insulina, níveis elevados de colesterol ruim, níveis elevados de estrogênio, cirurgias e sedentarismo.

Nos quadros leves de esteatose hepática, a doença é assintomática (não possui sintomas), com evolução lenta e gradual sendo os sinais e sintomas mais comuns dores, cansaço, fraqueza, perda de apetite e aumento do fígado.

A boa notícia é que é reversível, e a melhor maneira de tratar a esteatose é a redução do peso corporal através da mudança de hábitos alimentares a prática regular de exercícios físicos e um estilo de vida saudável.

Uma das dietas que tem resultados positivos na melhora dos casos de esteatose hepática é a dieta low carb mediterrânea, que tem um teor reduzido de carboidratos, alto teor de antioxidantes, rica em fibras e com uma quantidade boa de gorduras saudáveis e proteínas magras.

Existem alguns alimentos e seus compostos que podem ajudar a prevenir e tratar a esteatose hepática como gengibre, chá-verde, café, curcumina do açafrão, brócolis, castanhas, abacate, alho, peixes que contém ômega 3, frutas cítricas entre outros.

Quer emagrecer através de reeducacao alimentar?

Se inscreva para o próximo grupo do Projeto Fina e Dura  com duracao de 12 semanas

Saiba Mais Aqui
Close